Buscar
  • Logistica Urbana e Mobilidade

Volumes de tráfego na região do Hipercentro de Belo Horizonte

O Hipercentro de Belo Horizonte é definido como uma macrozona pela Lei Municipal No 7.166/96. A área do Hipercentro sofreu alteração de acordo Lei no 9.959, de 20/7/2010 (Art. 1o), quando deixou de incluir a Praça Raul Soares no limite.


No ano de 2008, para efeitos do Plano de Reabilitação do Hipercentro foi realizada uma nova delimitação do Hipercentro, como mostra a figura a seguir (Figura 1).


Figura 1 – Delimitação do Hipercentro de Belo Horizonte


Esta condição, ao mesmo tempo em que define uma área de natural maior aglomeração das atividades econômicas, e, portanto, de pessoas e necessidades de suprimentos de estabelecimentos, também indica uma área de interesse especial na melhoria da mobilidade. É também a área da cidade com maiores restrições de trânsito de veículos de carga no horário comercial, implantadas desde 2010. Os veículos com capacidade de carga superior a 5,0 t e a 6,5 m de comprimento têm circulação e operação de carga e descarga proibidas. Foram selecionados 6 radares, que fizeram a contagem de cerca de 4 milhões de veículos mensais nos anos de 2017 a 2019 (Figura 2). Esses radares representam 56 milhões de veículos/ano, sendo: veículos de passeio (84,7% dos registros), motos (9,1%) e caminhões, vans e ônibus (6,2%).


Figura 2 – Delimitação do hipercentro de Belo Horizonte e localização dos radares na área


As Figuras 3 e 4, mostram que houve queda no volume de tráfego no ano de 2018 quando comparado a 2017. Porém, a quantidade de veículos circulando pelas ruas da cidade aumentou 6,4% em 2019 em relação a 2018. No período 2017-2019, houve crescimento de 5,7%.


Figura 3 – Comportamento do volume de tráfego de veículos e motos em Belo Horizonte no período 2017-2019


Figura 4 – Comportamento do volume de tráfego de veículos em Belo Horizonte no período 2017-2019


O pico de volume de veículos no hipercentro ocorre no meio da tarde, entre 14h00 e 16h00, com horário de trânsito intenso também no início da manhã (Figura 5). Porém, há comportamentos diferenciados quando observamos os pontos de contagem de tráfego de maneira isolada. No ponto Avenida Afonso Pena, Esquina Guajajaras, os maiores volumes diários de tráfego ocorrem entre 9h30 e 10h30 e entre 13h30 e 15h00. Na mesma Avenida, Esquina Rua da Bahia, o pico da circulação de veículos é registrado entre 9h00 e 14h00. Na Avenida do Contorno, Esquina Viaduto Oswaldo, ocorrem dois picos: um entre 6h00 e 6h30 e outro entre 13h00 e 14h30. Comportamento similar é registrado na Avenida Alfredo Ballena: entre 6h30 e 7h00 e entre 11h30 e 16h30. Na Avenida dos Andradas, Esquina Viaduto Oswaldo, o horário de pico do volume de tráfego concentra-se no final da tarde/início da noite, entre 17h30 e 19h00.


Figura 5 – Comportamento do volume de tráfego de veículos no hipercentro de Belo Horizonte no período 2017-2019, conforme os dias da semana


O crescimento do volume de tráfego em 2019 ocasionou trânsito intenso o dia todo, todos os dias da semana. Os congestionamentos ficaram mais frequentes, com ocorrência diária entre 11h00 e 19h00 (Figura 6).


Figura 6 – Comportamento do volume de tráfego de veículos no hipercentro de Belo Horizonte em 2019, conforme os dias da semana


#TrânsitoBH #Maio2020 #Pandemia #Painel

0 visualização
 

URBLOOG

UFMG

(31) 98717-9564

  • Facebook
  • LinkedIn

©2020 por URBLOG. Orgulhosamente criado com Wix.com