SOBRE

O Observatório de Logística Urbana e Mobilidade desenvolve soluções para as dificuldades e adversidades experimentadas na logística e na infraestrutura das cidades, sob os pilares da sustentabilidade, da mobilidade e da qualidade de vida.


Nossa agenda de pesquisa inclui:

  • Diagnósticos setoriais sobre suprimentos e distribuição em cidades e regiões;

  • Estudos para subsídios à elaboração de políticas públicas;

  • Estudos socioeconômicos de demanda e localização de atividades empresariais;

  • Capacitação de pessoas em empresas e órgãos públicos para a gestão da informação de fluxos urbanos e interurbanos;

  • Estudos de custos e precificação de atividades logísticas em áreas urbanas;

  • Plano de operações para novos negócios. 


As iniciativas educacionais estão vinculadas aos cursos de graduação em Administração do CAD/UFMG, de mestrado e doutorado do PPGA/CEPEAD/UFMG.


Assine nossas publicações, nos siga nas redes sociais e fique por dentro dos nossos eventos, palestras, workshops e seminários!

 

ANTÔNIO RODRIGUES

Administrador de Empresas. Professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).  Consultor nas áreas de Gestão de Operações, Logística e Supply Chain

JONATHAN SIMÕES FREITAS

Engenheiro de Produção. Professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atuação junto à gestão de P&D de organizações como FIAT-Chrysler Automobiles, Embrapa e Fiocruz.

LAYSSE SANTOS

Doutoranda em Administração na Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Administradora com experiência na área de compras e contratos da Administração Pública.

MARCELO BRONZO LADEIRA

Professor do Departamento de Ciências Administrativas e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFMG. Especialista na área de gestão de operações, com ênfase nos temas de gerenciamento de processos, business analytics e desempenho competitivo.

MARINA BASTOS BARROSO

Engenheira de Produção e mestranda em Administração na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Tem experiência em projetos com utilização de ferramentas estatísticas avançadas, monitoramento de veículos e gestão de empresa de transporte rodoviário de pessoas.

RICARDO MARTINS

Economista, Professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Membro do Conselho Consultivo da ANTT/SUROC - Agência Nacional de Transportes Terrestres / Superintendência de Serviços de Transporte Rodoviário e Multimodal de Cargas - para a Regulamentação da Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas.

RICARDO SANTOS

Economista e Administrador de Empresas. Tem experiência em projetos e simulações operacionais e econômico financeiras de processos logísticos e centros armazenarem e de distribuição.  Atua em processos de suprimentos e compras com eficiência em gestão. Consultor nas áreas de Gestão de Operações, Logística e Supply Chain.

ROBERTA MACEDO

Administradora de Empresas. Professora no Centro Universitário UNA (graduação e pós graduação).  Consultora em processos, logística e operações.  Professora autora de material para EAD em disciplinas logísticas e revisora do ENADE área de Operações/Logística.

TIAGO SCHIEBER

Doutor em Engenharia de Produção. Professor da Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalhou no Center for Applied Optimization na University of Florida e atualmente é professor da Universidade Federal de Minas Gerais. Se dedica principalmente ao estudo de processos dinâmicos em redes complexas.

 
 

ARTIGOS

 

EFICIÊNCIA OPERACIONAL DOS AEROPORTOS BRASILEIROS

Este estudo analisou 20 aeroportos brasileiros com o objetivo de determinar a eficiência em termos de passageiros transportados. Com base nas características operacionais, medidas a serem adotadas para os aeroportos ineficientes foram propostas. Os resultados apontam a necessidade de atuação das autoridades brasileiras de uma forma mais normativa no processo de planejamento.

EVOLUÇÃO DA EFICIÊNCIA E DA PRODUTIVIDADE NO TRANSPORTE DE CARGA FERROVIÁRIO BRASILEIRO

Evolução da Eficiência e da Produtividade no Transporte de Carga Ferroviário Brasileiro
Considerando a estagnação dos investimentos realizados no setor de transporte de carga ferroviária brasileira e os pequenos incentivos ao transporte por ferrovias, este estudo analisou a eficiência e a evolução da produtividade do setor no período de 2008 a 2016. Observou-se que apenas a Estrada de Ferro Carajás, a Estrada de Ferro Paraná Oeste e a Ferrovia Transnordestina Logística atingiram e permaneceram com eficiência máxima no período analisado. O setor mostrou ganhos de produtividade no período analisado, sendo a principal fonte desses ganhos relativos à evolução tecnológica. Conclui-se que é necessário reconfigurar o modelo operacional de incentivos às concessionárias ferroviárias, permitindo um melhor aproveitamento da malha atual e na expansão de novos investimentos. Os resultados indicam que o setor demonstra ter aprimorado seu processo produtivo no período considerado, no entanto, algumas empresas não conseguiram aproveitar-se desse aprimoramento.

PORTOS SECOS BRASILEIROS: ANÁLISE DE EFICIÊNCIA USANDO UM MODELO DEA EM DOIS ESTÁGIOS

Este artigo analisa os portos secos brasileiros que, frente a um histórico institucional e a um cenário competitivo, buscam maiores níveis de eficiência. O objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência e suas variáveis determinantes: os resultados demonstram um grande nível de ociosidade nas operações e corroboram o impacto positivo dos processos de coordenação por meio de Tecnologias de Informação (TIs )no desempenho logístico.

EFFICIENCY OF SPECIALIZED 3PL PROVIDERS IN AN EMERGING ECONOMY

O objetivo principal deste estudo foi determinar as variáveis ​​que afetam significativamente a eficiência dos prestadores de serviços logísticos na cadeia de frios. Os resultados indicam que os níveis de eficiência são impactados de forma diferente pelo tipo de tecnologia adotada e pelos serviços oferecidos do prestador de serviço logístico, o que deixa espaço para a adoção de diferentes medidas e práticas operacionais para aumentar os níveis de eficiência nas suas diferentes dimensões. O estudo apresenta também orientações para gestores que desejam estabelecer ou adaptar estruturas e sistemas de gestão em cadeias de frio. Além disso, o trabalho desenvolveu benchmarks de desempenho para prestadores de serviços logísticos frigorificados.


RISCOS EM COMPRAS GOVERNAMENTAIS

A pesquisa objetivou compreender como os riscos presentes nos processos de aquisição de bens e serviços são gerados e gerenciados no âmbito da Administração Pública brasileira.

ALTERAÇÕES NOS HÁBITOS DE COMPRA E DISTRIBUIÇÃO VAREJISTA

A baixa mobilidade já vinha afetando a decisão das pessoas de comprar no comércio de bairros. Agora, a pandemia pode ter estimulado com mais vigor essa tendência. Isso implica mais veículos de cargas circulando pelas cidades. Como administrar o conflito entre logística e cidades?

DESAFIOS LOGÍSTICOS ÀS REDES DE  NEGÓCIOS NO BRASIL: O QUE PODEM AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS (PPPS)?

Este artigo discute o potencial das parcerias público-privadas (PPPs) em apoiar as redes de negócios e reduzir as desigualdades regionais no Brasil.

GESTÃO DE RISCOS EM REDE DE SUPRIMENTOS: UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO

O estudo teve como objetivo traçar um panorama da literatura acadêmica sobre a gestão de riscos na rede de suprimentos. Para alcançar o objetivo proposto, foi realizado um estudo bibliométrico a partir do levantamento de palavras-chave na base Web of Science e da utilização das ferramentas VOSviewer 1.6.13 e Tree of Science (ToS).

PARÂMETROS PARA GESTÃO DA LOGÍSTICA DE TRANSPORTE NA COLETA DE LEITE

Este estudo procura apoiar os gestores, apontando os principais parâmetros para a estruturação e gestão de uma frota, tomando como exemplo o caso da frota da coleta do leite.

ESTUDO DA FORMAÇÃO DO FRETE RODOVIÁRIO E POTENCIAL DE CONFLITOS EM NEGOCIAÇÕES EM CADEIAS DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

Este estudo aborda as diversas variáveis que agem na formação do frete no Brasil, apontando as suas influências.

A LOGÍSTICA COMO DIRECIONADOR PARA A FORMAÇÃO DE CADEIA DE VALOR: UM ESTUDO APLICADO NA INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DO SORO DE QUEIJO

Este estudo indica como as variáveis logísticas são importantes e as vezes determinantes da decisão sobre onde implantar um negócio.

ANTECEDENTES DA EFICIÊNCIA PRODUTIVA NA MANUFATURA: EXPERIÊNCIAS DO SETOR MOVELEIRO BRASILEIRO

Como se estrutura uma produção industrial rentável. Aprendendo com os fabricantes de móveis.

ATRIBUTOS DO SERVIÇO DE TRANSPORTE NO RELACIONAMENTO INDÚSTRIA-VAREJO

O artigo identificou os fatores que que satisfazem os varejistas quanto à logística de entrega dos fabricantes. Os resultados demonstraram que a logística preparada pelas indústrias não satisfazem o varejo e, quando resolvido, este torna-se um fator competitivo e um reforço ao relacionamento (fidelidade).

GESTÃO DO TRANSPORTE ORIENTADA PARA OS CLIENTES: NÍVEL DE SERVIÇO DESEJADO E PERCEBIDO

Neste artigo, o transporte é analisado enquanto gestão de serviços, procurando entender aspectos comportamentais da demanda dos embarcadores. Ouvir o cliente, sempre, é o primeiro passo para estruturar um serviço de logística que tenha boa aprovação.

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA PARA A GESTÃO DA LOGÍSTICA DA CAPTAÇÃO DE LEITE DE UMA COORPORATIVA AGROPECUÁRIA

Como coletar 500 mil litros de leite em 428 propriedades, de maneira mais econômica? Veja o que esse estudo nos ensina.

MODALIDADES DA GESTÃO DAS DIMENSÕES DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS

Nos interessamos pela sustentabilidade, precisamos gerar menos resíduos, reutilizar mais e aprimorar a logística da coleta de resíduos nas cidades, pois este serviço representa uma das maiores despesas do município. Este estudo aponta o caminho da formação de consórcios municipais para a governança da limpeza urbana.

DECISÕES ESTRATÉGICAS NA LOGÍSTICA DO AGRONEGÓCIO: COMPENSAÇÃO DE CUSTOS TRANSPORTE-ARMAZENAGEM PARA A SOJA NO ESTADO DO PARANÁ

Este estudo objetivou avaliar a decisão estratégica de logística, dentro do princípio teórico da compensação de custos logísticos, tendo por base que a decisão estratégica empresarial pauta-se pelo somatório dos custos logísticos, visando identificar sua área de custos mínimos totais das operações.

ELEMENTOS INSTITUCIONAIS E DESEMPENHO DA LOGÍSTICA DE UMA REDE PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

O setor público precisa dar mais atenção à logística de suas aquisições e da distribuição. Para isso, é preciso mudar os seus processos. Este estudo aponta formar de melhorar a logística de distribuição de medicamentos e pode ser muito útil na eficiência do combate a pandemias, como a que vivemos no momento.

OPERATIONS IN THE CONTEXT OF URBAN MOBILITY: EVALUATING THE PERFORMANCE OF THE DELIVERIES TO SMALL RETAILERS

Qual é o melhor serviço de entregas para o varejo?

EVOLUÇÃO DA PROXY DE QUALIDADE PARA MODELOS DE EFICIÊNCIA BASEADOS EM BENCHMARKING: REVISÃO DE LITERATURA PARA O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

Este estudo analisou como a variável qualidade e suas proxies são implementas em modelos de análise de eficiência operacional no setor de transmissão elétrica. Constantes alterações de modelagem, conceito e cálculo causam instabilidade e insegurança no setor elétrico, pois os repasses dos custos financeiros dependem do desempenho operacional.

URBLOOG

UFMG

(31) 98717-9564

  • Facebook
  • LinkedIn

©2020 por URBLOG. Orgulhosamente criado com Wix.com